29/12/2021 às 16:56

BV (bônus de venda) no mercado de casamentos

20
3min de leitura

O bônus de venda é uma comissão paga ao organizador do evento, assessor ou cerimonialista por indicações dos serviços ou produtos que você irá contratar.

E não teria problema algum receber ou pagar por uma venda realizada, mas o que acontece é que geralmente essa comissão paga está saindo do bolso do casal, sem que eles saibam. E você deve estar se perguntando , como assim ?

É que geralmente , os fornecedores colocam o valor dessa "comissão" a ser paga para o profissional no orçamento do casal, sem que eles saibam que estão pagando um adicional por isso. Ou seja, para comissionar o profissional, o fornecedor indicado cobra mais por seu produto ou serviço para fazer o repasse do valor.

Sabe aquela insistência para você contratar determinado fornecedor? Ela geralmente está relacionada com o BV, é um jeito de garantir que você vai contratar somente fornecedores que vão pagar a comissão.

Eu particularmente acho essa relação contraditória. Eu penso que se sou contratada para dar uma assessoria para um casal de noivos, eu preciso pensar no que vai ser melhor para eles e para o evento, não pensar em benefícios próprios. Considero que o valor pago a mim pela prestação dos serviços, cobre essa questão.

Recentemente, uma iniciativa em Curitiba de um grupo de espaços, está pedindo mais ética nos eventos. Elaboraram um código de conduta e ética para os profissionais, criando inclusive uma lista de fornecedores alinhados com os mesmos objetivos.

Nenhum dos meus clientes é obrigado a contratar nenhum dos fornecedores que recomendo, a decisão de escolha é dos clientes.

Na minha proposta, o valor que cobro pelo meu serviço já contempla a recomendação e pesquisa de fornecedores.

As minhas recomendações são baseadas em perfil , estilo e orçamento disponível do casal, que eu identifico através do briefing que realizo no início do atendimento.

Eu sei que estou falando de algo que é uma prática e que muitos colegas de profissão trabalham com o BV. E quando o cliente sabe que essa é a forma de remunerar o trabalho, não tem problema, é lícito. O ponto aqui é que infelizmente, a grande maioria que trabalha com BV não informa e nem deixa claro para o cliente que isso vai acontecer.

Ninguém precisa concordar ou me seguir. Mas minha parte em informar, essa ninguém pode proibir.

Os clientes e fornecedores vão continuar fazendo suas escolhas, agora com mais argumentos para definir o caminho a seguir e o profissional a escolher.

Meu compromisso é atender e recomendar fornecedores que fazem um bom trabalho, isso é o ideal para mim e minha empresa.

Abaixo, um texto que extrai do site do Daniel Del Rio, da Blindagem Jurídica, ele explica sobre a prática do BV:

Sob a ótica do Código de Defesa do Consumidor (CDC), temos que o [BV Terceirizado, quando o cliente paga sem saber], é ilegal, eis que:

I) compreende conduta de elevação de preço de produto(s) ou serviço(s) sem justa causa, conforme vedação do art. 39, X, da Lei 8.078/90 (CDC).

II) representa abuso contratual e vantagem manifestamente excessiva em detrimento do consumidor, praticas estas vedadas pelos arts. 6º, IV; 51, IV, § 1º III e; 39, v, da Lei 8.078/90 (CDC).

III) afronta os arts. 4º, III e 51, IV, da Lei 8.078/90 (CDC), que preveem a obediência aos princípios da função social dos contratos, da boa-fé objetiva e do equilíbrio nas relações de consumo.

Por fim, fizemos uma live em parceria com Daniel Del Rio sobre essa questão e se você quiser conferir o posicionamento da ACESPR ( associação de cerimonialistas que faço parte), você pode conferir o vídeo.


29 Dez 2021

BV (bônus de venda) no mercado de casamentos

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Tags

Bônus de Vendas BV eventos

Logo do Whatsapp